Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

QUANDO OS JACARANDÁS FLORESCEM






De novo aquele cheirinho agradável de fruta amadurecendo, que sempre aparece no início de cada verão. Só que não é de fruta. Há poucos anos descobri que vem da corticeira em flor. Aquela do Clube Recreativo está uma beleza! As pétalas, tão alvas, têm a maciez do rostinho de criança.
Enquanto isso os jacarandás também se apresentam no seu esplendor – uma nuvem lilás roubando a cena nas avenidas de nossa cidade. É uma imagem que me transporta a um grande acontecimento em minha vida, o nascimento de meu filho caçula.
Da janela do quarto do hospital foi que os surpreendi pela primeira vez justamente quando todas as flores se abriam. Novembro, mês do aniversário. Perguntei que árvore era aquela. Foi então que adotei o jacarandá como uma das minhas preferidas.
A História Sagrada nos conta que o homem foi feito de barro, e Deus soprou-lhe a vida. Os minerais, vegetais e animais foram criados antes, e o ser humano já nasceu num estágio mais evoluído. As diversas teorias falam que somos um conjunto de todos esses elementos, e é natural que nos identifiquemos com um ou outro preferencialmente. Eu sou da árvore, ela me fascina todo o tempo. Não passo por uma sem admirá-la, elas merecem minha atenção e respeito.
Inconscientemente fui associando o jacarandá com a personalidade do meu filho. Expandindo-se em galhos e ramos, brotos e flores, tudo no seu tempo certo. Como um ser social, disposto a cultivar amizades, a prestar serviços, a compartilhar. Alegre, comunicativo como o Gijo, que desde bebezinho procurava comunicar-se com as pessoas ao redor. Na rua, nos ônibus, na escola, na vida. Sempre me incentivando a mudar, sair da rotina, trocar o velho pelo mais novo, a TV preto e branco pela colorida, o canal aberto pelo pago, a máquina de escrever pelo microcomputador, a Internet, o celular...
Mantendo minha casa sempre cheia de amigos, jovens simpáticos que até hoje, adultos, me tratam com carinho.
E agora, fora de casa, ele está cada vez mais perto pelo amor que nos une, o dia a dia contado ao telefone todas as noites, as dificuldades e alegrias, os desafios e as conquistas, sem nada a esconder.
No dia de hoje, seu aniversário, quero mandar-lhe um muito obrigada por ser meu filho, uma bênção, um milagre que agradeço todos os dias a Deus. E de ter-me dado a querida Adriane, sua companheira amada, que se não fosse para ser nora, pediria aos céus que fosse minha filha.
Flores de jacarandá, voltem sempre para comemorarmos por muitos e muitos anos esta data feliz.


Um comentário: